sexta-feira, setembro 30, 2011

Facebook e Twitter

Já não bastavam os desabafos e inconfidências de alguns jogadores que utilizam algumas destas formas de comunicação para lançarem a confusão nos clubes, revelando matérias que deveriam ser de alguma confidencialidade no momento, surgem também agora as suas próprias esposas e namoradas, a enveredarem pelo mesmo caminho dando a conhecer publicamente factos que os treinadores gostariam que fossem revelados no momento e pelos caminhos definidos pelas suas estruturas de comunicação. Foi o caso da mulher de Rooney que publicou nessas redes sociais que o jogador se tinha lesionado num treino nessa manhã e não jogaria no dia seguinte. Alex Ferguson, obviamente não gostou. Qualquer dia lá vai voar mais uma bota, desta vez não para a cabeça de um jogador na pacatez do balneário, mas para o camarote das ladies... Ferguson é paciente mas não tanto! Para já só pediu moderação à senhora...

Anónimos

O crescimento e desenvolvimento da internet tem levado a que novas e diversas formas de comunicação tenham surgido e intrometido no "monopólio" dos órgãos de comunicação social tradicionais. Assim, cresceram e consolidaram-se a uma velocidade vertiginosa, blogs, sites, o twitter, o facebook, e mais alguns meios de interacção entre as pessoas que nalguns casos têm sido aproveitados por muitos de uma forma pouco séria, normalmente escondendo-se na figura de anónimos. O Presidente da República, ministros e outros órgãos de poder, têm utilizado com regularidade as redes sociais, passando para a opinião pública as suas ideias e concepções políticas e até de vida, defendendo aquilo que consideram justo e correcto. No meu caso concreto, ao criar este blog, tive a ideia inicial,  de publicitar as actividades menos mediáticas das selecções nacionais, defender e divulgar muitas das decisões que vão sendo tomadas nesse meio, e pouco divulgadas pelos meios tradicionais, e sobretudo criar um elo de ligação entre aqueles que gostam das selecções nacionais, sem nunca cair no facilitismo do insulto ou do brejeirismo. Não pretendo aumentar os visitantes a qualquer custo, porque não sou, nem quero ser, polémico, nem posso entrar em campos que a minha actual actividade profissional não permite. No entanto, quando alguém entra por caminhos que considero menos correctos usando e abusando de meios pouco sérios, não hesito em comentar e criticar. Nos comentários que vou recebendo, não publico aqueles onde o insulto é a base da sua lógica sobretudo se for dirigido a outros e posso afirmar que tenho eliminado bastantes. Sobre mim lá  ia publicando alguns, talvez numa atitude demasiado aberta e um pouco quixotesca. Desde há uns dias tomei a decisão de não aceitar comentários anónimos a não ser que não possuam qualquer mensagem insultuosa para quem quer que seja. Por isso deixo aqui esta informação dirigida aqueles que na escuridão do anonimato vão tentando insultar, não dando a cara.  Não vale a vela pena perderem tempo a escreverem. Desistam porque não publico nem respondo. Havendo tantos aspectos que merecem análise e destaque no desporto e na vida não vejo qual a razão de se perder tempo com gente que se esconde na figura de anónimo. Por exemplo, destacar as vitórias dos clubes lisboetas nas competições europeias, esperando que os dois clubes do norte consigam ultrapassar este momento menos bom e consigam passar à fase seguinte das suas provas. No futebol não há anónimos, perdendo, empatando ou ganhando, todos dão a cara.

quinta-feira, setembro 29, 2011

Breno


O jornal "A Bola" trouxe ontem desenvolvimentos da situação do jovem jogador brasileiro Breno que joga no Bayern de Munique. Breno encontra-se preso acusado de ter lançado fogo à sua casa, numa situação quase semelhante a um caso que aconteceu nos arredores de Lisboa com uma conhecida actriz. O seu advogado foi peremptório ao afirmar que Breno se encontra doente, e que precisa de ajuda. Se for esse o caso, o que está por confirmar, é de salientar que não é só nestas profissões de grande desgaste psicológico, porque a pressão é constante, que se encontram situações destas, mas é um facto que com uma certa regularidade, felizmente lenta, vai-se sabendo de um caso aqui, outro ali, muitas vezes só sussurados, que algumas pessoas, jogadores, treinadores, dirigentes, vão tendo problemas e que têm de ser ajudados. As doenças acontecem e têm de ser diagnosticadas, mas muitas vezes este tipo de perturbações não são levadas tanto a sério como as de natureza física e nalguns casos se não forem imediatamente combatidas e debeladas têm consequências desagradáveis e deixam marcas para o futuro. Se for esse o caso, repito.

Chus Pereda


Só ontem à noite soube do falecimento  de Jesús "Chus" Pereda ao entrar no site da Marca. Antigo e reconhecido jogador internacional do Real Madrid e Barcelona, foi também treinador das camadas jovens da Federação de Espanha. E foi nessa qualidade que o conheci e com ele privei enquanto trabalhei nas camadas jovens da Federação, até 1991. Recordo-me como se fosse hoje das lutas vibrantes entre as selecções dos dois países num ambiente tremendo de rivalidade que nalguns casos chegou perto do confronto físico. Lembro-me de um Espanha/Portugal, sub/18, em Janeiro de 1988, em Badajoz, o meu primeiro jogo  no estrangeiro como secretário de uma selecção nacional, em que Pereda e Queiroz discutiram, face a face, a um palmo um do outro. O que Pais do Amaral, Vice-Presidente da FPF sofria connosco e com a nossa atitude rebelde em demasia...  Em 1990, no europeu de sub/18, na Hungria, na meia-final, os espanhóis inventaram uma história com os equipamentos de jogo que gerou uma confusão enorme evitada de males maiores, em última instância, pelos delegados da UEFA. Cenas do passado. Duravam as picardias praticamente só durante os jogos, porque no resto do tempo trocava-se esse comportamento, de ambos os lados, pela amizade. Acabámos por ficar amigos, embora com poucos contactos. Um dia recebi uma chamada de Espanha, e era o bom do Pereda dizendo que ia dar todo o apoio a Luís Figo, agora na capital da Catalunha, tendo sido ele mesmo o seu primeiro cicerone em Barcelona. Acho que o vi pela última vez, em Barcelona, em 2002, quando Portugal jogou com a Espanha, antes do mundial desse ano. Guardo dele, além das cenas que atrás referi, grandes histórias de chorarmos a rir nas conversas a quatro, onde entravam sobretudo Carlos Queiroz e Nelo Vingada. Outros tempos. Paz à sua alma.

Jesús Pereda Ruiz de Termiño («Chus» Pereda), nació en Medina de Pomar (Burgos) el 15 de julio de 1938. Jugó en el Indauchu y, en 1957, ingresó en las filas del Real Madrid. Dos años más tarde pasó al Sevilla, permaneciendo en la entidad andaluza hasta la temporada 1962- 63, campaña en la que pasó a pertenecer a la plantilla del Fútbol Club Barcelona. En el equipo azulgrana causó baja al finalizar la edición 1969-70. Vistió la camiseta arlequinada del C. D. Sabadell y, en 1972, enrolado en el plantel del Mallorca, decidió colgar las botas.
Jesús Pereda fue un extremo-interior de juego muy rápido, fácil regate y excelente toque de balón. Un futbolista que fue de enorme capacidad para el juego de conjunto. Muy preciso en el pase a los compañeros mejor desmarcados. Pereda conquistó dos títulos de campeón de España de Copa con el Fútbol Club Barcelona. Las que ganaron los barcelonistas en 1963, al vencer al Zaragoza, y en 1968, con triunfo sobre el Real Madrid. Fue el autor del primer gol español a la URSS, en la famosa final de la Eurocopa que se disputó en Madrid, en el estadio Santiago Bernabéu, el 21 de junio de 1964. España se proclamó campeona. Jesús Pereda ha disputado un total de 18 confrontaciones internacionales.
Quince con el primer equipo nacional, una con la selección «B» y dos con la sub-23. Su debut con la selección absoluta tuvo como escenario el estadio Santiago Bernabéu. Fue el 15 de mayo de 1960. Ese día España derrotó a Inglaterra por tres a cero. La selección hispana estuvo formada por: Ramallets, Pachín, Garay, Gracia, Verges, J. Segarra, Pereda (Del Sol), Eulogio Martínez, Di Stéfano, Peiró y Gento.
La última vez que Jesús Pereda vistió la camiseta nacional fue en Belgrado, el 27 de octubre de 1968, en partido correspondiente a la fase preliminar del Mundial de México (1970). Yugoslavos y españoles empataron a cero. Pereda sustituyó durante el transcurso del encuentro al que fuera interior rojiblanco Luis Aragonés. Tras su etapa como jugador, Jesús Pereda, con buen arte y estupendas mañas, inició su carrera de técnico. Un seleccionador, con hechuras. Jesús Pereda: el estratega de Medina de Pomar. Todo un amable burgalés.

quarta-feira, setembro 28, 2011

Danny

Foto: Francisco Paraíso

"Portugal não é só sinónimo de saudade. É no país que representa que está o grande e último sonho do criativo. "Ganhar o Europeu com a Selecção", responde peremptoriamente. Com Paulo Bento, é possível, até porque agora a Selecção joga olhos nos olhos com qualquer adversário, diz. "A equipa tornou-se bastante mais ofensiva. Melhoramos em vários aspectos. Queiroz era diferente; tinha a sua forma de jogar e, no futebol, às vezes as tácticas defensivas dão vitórias. Mas tínhamos jogadores para jogar de peito feito com Brasil e Espanha, por exemplo", aponta, ele que dificilmente pode ser titular, face à concorrência de Ronaldo e Nani, mas que também não se importa com isso. "Todos os elementos da Selecção jogam em grandes europeus. Estar entre os 18 já é muito bom. A cada convocatória, há pelo menos 20 grandes jogadores que ficam de fora", afirma modestamente."
In "O Jogo"

Palavras sérias, de grupo, de equipa, que compreende bem o seu espaço, mesmo sabendo a enorme qualidade que possui como jogador. Aliás também como pessoa é bom de referir. Uma atitude que por vezes outros sem tanta qualidade não têm.

Hóquei em Patins


Sou do tempo, quando era miúdo, em que se seguiam os campeonatos de hóquei através da rádio. Não havia televisão com a força de hoje. E os mundiais, quase sempre entre Portugal e Espanha, mobilizavam o país desportivo. Aos poucos com o crescimento do desporto na televisão e com a preponderância que outros desportos foram tendo, particularmente o futebol, algumas modalidades foram definhando. Há uns anos atrás pensou-se que se o hóquei chegasse a modalidade olímpica a situação se inverteria e as grandes potências do desporto talvez aderissem à modalidade. Nem o espanhol Juan Antonio Samaranch, antigo presidente do COI e dirigente espanhol de hóquei em patins, conseguiu que este desporto integrasse as modalidades olímpicas continuando assim os dedicados hoquistas a disputar as suas provas internacionais quase em segredo mundial. Está a disputar-se um novo mundial, desta vez na Argentina, uma das quatro potências mundiais, com Portugal, Espanha e Itália, mas a grande maioria das equipas estão a um nível muito mais baixo  levando enormes cabazadas que não dignificam a modalidade. Está um pouco diversificado o panorama de equipas a nível mundial, Colômbia, África do Sul, mas isso não corresponde a um crescimento real correspondente o que é pena. Tenho assistido na RTP2 aos jogos e parece-me que a nossa equipa está tendo algumas dificuldades, mas também é verdade que estamos noutro continente, noutro clima, tudo um pouco diferente, e a ambientação demora algum tempo. Esperemos que ultrapassem estas dificuldades e que atinjam os objectivos que todos os portugueses desejam.

terça-feira, setembro 27, 2011

O dedo


Depois de ontem ter falado dos dedos acusatórios hoje trago este exemplo protagonizado por Vettel. Se fosse Ronaldo, Mourinho ou qualquer outro português com destaque na vida pública e desportiva dir-se-ia que estavam a ofender quem quer que fosse como foi um um caso recente em Espanha com Ronaldo. Neste caso concreto o dedo no ar de Vettel refere-se ao facto de querer dizer que foi e é o primeiro e que lhe falta um ponto para atingir o título. O gesto porém é o mesmo.

Van Persie

«Vejo semelhanças entre Van Persie e Messi. Ele gosta de jogar em profundidade e depois também aparecer no ataque. São parecidos na forma de se posicionarem em campo. Van Persie não joga como um avançado-centro, mas quando vemos os seus movimentos à volta da área percebemos que é muito inteligente, com as diagonais. Sempre achei o seu primeiro toque tão bom, que é capaz de fazer a diferença mesmo em espaços pequenos»
Arsène Wenger

Compreendo que um treinador, qualquer treinador, faça os possíveis para puxar pelos seus jogadores, elogiá-los, dar-lhes confiança. Compreendo isso tudo, mas sinceramente encontrar semelhanças entre Messi e Van Persie, é um exagero com alguma dimensão. Messi, como também Ronaldo, cada qual com as suas características, são jogadores únicos e não vejo ninguém que se lhes compare. Arsène, um treinador em dificuldades, face a situações que lhe criaram e às quais foi alheio, tenta elevar os seus atletas ao nível dos galácticos. Compreende-se mas...

segunda-feira, setembro 26, 2011

Acusação


Mesmo que eventualmente se sinta injustiçado o jogador não teve qualquer hipótese. Perante a acusação do adversário e o vermelho do árbitro nada havia a fazer. Extraordinária foto demonstrando uma enorme sagacidade por parte do reporter fotográfico.

Sinais dos tempos


Muito pouco interessante, assim se referiu o comentador Sportv ao jogo Saragoça/Málaga, de ontem à noite. E não podia ser mais certeiro dado que este jogo foi realmente mau e sem qualquer chama de interesse. Imaginar há bem pouco tempo que um português, e não acredito que tenha sido o único..., poderia estar noventa minutos a assistir a tal desconsolo seria um exercício de resposta quase prevísivel, ou seja, nenhum. Acontece que em campo acabaram por estar cinco compatriotas nossos o que é notável e sinal dos tempos actuais e único motivo para que tenha aguentado tal sofrimento.  No último FC Porto/Benfica, por exemplo, estiveram somente três, e todos do lado dos azuis. Logo a seguir, no mesmo canal, viu-se o Standard Liége/Cercle Brugge, com mais três portugueses, Nuno Reis, Baldé e Rudy. Situações que não são únicas, ainda no outro dia também estiveram cinco no Apoel/Zenith e haverá no futuro próximo muitos mais exemplos iguais a estes.  Destaque no jogo de ontem para Duda, e a espaços, de Helder Postiga, muito isolado na frente e ainda para o facto de ter visto Fernando Meira, quase três anos depois do seu último jogo pela Selecção Nacional. O Málaga é melhor equipa, tem melhores jogadores e está moralizado. O Saragoça, está sobre pressão e precisa de fazer pontos. O melhor em campo foi Roberto, o outrora "frangueiro" benfiquista, que em três situações de classe salvou o Saragoça.

domingo, setembro 25, 2011

Paulo Sousa

Esperei uns dias para comentar uma notícia destacada na nossa imprensa sobre uma alegada agressão a um jornalista húngaro durante um jogo de convívio entre jornalistas, e no qual Paulo Sousa integrou uma das equipas. Uma festa que acabou mal e com queixa do jornalista junto das autoridades policiais. Esperei para saber de eventuais desmentidos mas até ao momento Paulo Sousa só disse que "chocaram" de cabeça. Um gesto porventura alicerçado numa deteriorada relação anterior.  Vem esta história a propósito de há uns anos, durante o Portugal/Sérvia, em Alvalade, Luiz Felipe Scolari se ter envolvido com um jogador adversário. Na altura, Paulo Sousa, que tinha sido acolhido anteriormente por Scolari no interior das selecções, tendo chegado a treinador dos Sub/16 e feito um estágio com a selecção "AA", teve mais ou menos as seguintes palavras "Se aqueles que lhe estão mais próximos, sabendo da sua impetuosidade, se tivessem antecipado e previsto a situação, nada teria acontecido". Claro que ficámos melindrados e chocados  com estas palavras de uma pessoa que considerávamos. Paulo Sousa foi infeliz, como alguns outros sem a sua responsabilidade e passado foram, agora, a propósito do assunto Ricardo Carvalho, sobretudo sabendo-se bem que nestas situações nunca há previsões, tudo é imprevisto e rápido como um raio, e a única coisa que se pode fazer nesses casos é tentar remediar. Tirou partido contra quem o ajudou talvez por razões que não vêm aqui ao caso. Mas nestas coisas da bola, ou melhor, da vida, nunca devemos cuspir para o ar, ou urinar contra o vento. Um dia destes cai-nos em cima! Os incidentes, actos irreflectidos, acontece aos melhores e a quase todos, como foi nestes dois casos, o que faz a diferença é o cuidado que temos de ter para quando utilizarmos a crítica pública o fazermos com critério, conhecimento e seriedade.


A Luz e os Emirates

"Os decibéis e o barulho (no Estádio da Luz) eram de tal ordem que parecia que todos os 142 mil sócios do Benfica estavam dentro do magnífico estádio - uma espécie de Emirates, do Arsenal, mas com ambiente a sério"
Editorial - "Manchester Evening News" - In "O Jogo" - Little Portugal de Paulo Anunciação

O que eu acho curioso neste editorial, é o facto do jornalista dizer que a Luz é uma espécie de Emirates. A primeira vez que entrei no Emirates disse que aquele estádio era uma cópia da Luz. E é realmente porque foi feito depois e o arquitecto é o mesmo. Os ingleses nunca diriam que o Emirates é uma cópia da Luz. Já agora, achei também interessante dizer que foi um ambiente a sério em Lisboa. Manchester contra Arsenal. É igual em todo o lado.

sábado, setembro 24, 2011

Clássicos

Em Portugal os clássicos são disputados por vezes fora de campo, antes e depois dos jogos, infelizmente até com cenas que envolvem alguma violência, verbal e até física. Felizmente que já há algum tempo, os dirigentes, sensatamente, têm evitado grandes confrontos palavrosos que foram o pão nosso de cada dia no passado, permitindo assim acalmar o ambiente. No Brasil, pela forma extrovertida como as pessoas se relacionam, entra-se mais pelo aspecto do gozo pelo adversário, pelo seu amesquinhamento, mas usando quase sempre uma linguagem com muito humor à mistura. Duas formas distintas de viver os jogos e as grandes disputas, mas sentindo o mesmo, cá e lá, o amor e dedicação ao seu emblema. Tudo isto a propósito do recente grande "duelo" Corinthians/São Paulo. Vejam-se algumas das histórias:


100º gol: Sempre polêmico, o diretor de marketing corintiano, Luis Paulo Rosenberg, provoca o São Paulo propondo uma campanha que visa ver o goleiro sofrer 100 gols do Corinthians - já são 81 ao longo da carreira. O camisa 1 marcou seu 100º gol em partida válida pelo clássico neste ano.

Frango: No mesmo dia, o dirigente fez gozações com Rogério Ceni que havia levado um "frango" no clássico - o goleiro virou, inclusive, paródia na internet. "Um dia o goleiro faz gol em você, no outro ele faz o gol para você. Foi o centésimo gol dele pela Fifa e ainda o primeiro a favor do Corinthians. É um orgulho poder fazer parte da história dele", esnobou.

Freguês: Após a goleada por 5 a 0 em cima do rival, o site do Corinthians voltou a provocar o São Paulo: "freguês bom sempre volta". No ano passado, o time alvinegro já havia usado seu site oficial para alfinetar seu rival tricolor depois de uma vitória em um clássico.»

Chororô: O atacante corintiano Emerson provoca são-paulinos pelo Twitter: "não sabia que tinha 'chororô' em São Paulo", disse, referindo-se às reclamações dos tricolores sobre a arbitragem.

Chin-Koa-Zero: Dirigente Julio Casares afirma que o marketing do Corinthians devia estar desesperado por querer contratar um jogador chinês. Em réplica, Luis Paulo Rosenberg respondeu: "é um craque que queremos, o Chin-Koa-Zero", declarou, mencionando a goleada por 5 a 0.

Canal gay: Rosenberg, em palestra realizada na ESPM, em São Paulo, declarou que o time tricolor já tinha uma TV fechada: a For Man, canal homossexual, bissexual e transexual transmitido na TV fechada. Em resposta, João Paulo de Jesus Lopes afirmou: "não vamos responder a essa declaração infeliz. Queremos ignorar esse personagem e suas citações".

Fusquinha: Andrés Sanchez, de novo ele, criticou o Morumbi mais uma vez: "não dá para comparar o nosso estádio com o do São Paulo. Seria como comparar uma Ferrari com um Fusquinha 66. É um novo contra um estádio de 50 anos". Nesta quarta, Corinthians e São Paulo se enfrentam e colocam as diferenças em jogo.


http://esportes.terra.com.br/

José Cavaco


Já tenho aqui referido algumas pessoas minhas amigas e que são simultaneamente integrantes das estruturas das selecções nacionais, quando atravessam momentos menos bons das suas vidas. Hoje queria daqui enviar sinceros desejos de recuperação rápida ao dirigente da FPF, José Cavaco, que ainda recentemente tinha sido o Chefe da Delegação da Selecção Nacional "Sub/20" no Mundial da Colômbia e que por esse motivo foi condecorado pelo Presidente da República. A "sua" Selecção "Sub/21" espera-o nesta fase de participação para o Euro 2013.

sexta-feira, setembro 23, 2011

Ranking FIFA

Foto: Francisco Paraíso

Sempre que Portugal alcança uma boa posição no ranking internacional de selecções da FIFA, gera-se uma onde de alguma euforia com o feito alcançado. O actual lugar, 5º classificado, corresponde a uma série de resultados e critérios alcançados nos últimos anos. Já estivemos em 3º e em 4º lugar e sempre disse o mesmo. Tudo isto é transitório e muito condicionado. É bom estar no cimo da classificação? Claro que é, mas o que nos interessa verdadeiramente é classificarmo-nos para as grandes competições internacionais e tentando sempre ir ganhando. O resto, seja em 5º ou 9º, é praticamente o mesmo. Traz prestígio e admiração internacional pela classificação mas o que é de realçar é  a consolidação, que se tem mantido, de um  lugar entre os dez primeiros que demonstra uma regularidade competitiva assinalável para um país e um futebol com tantos problemas e com uma dimensão tão reduzida como o nosso.


Juntas pelo futebol feminino



Duas jovens jogadoras Sub/19 das selecções de Portugal e Hungria numa foto curiosa onde a bola assume a centralidade e as jogadoras parecem irmanadas pelo seu interesse e dedicação ao futebol. A Selecção portuguesa apurou-se para a segunda fase do europeu depois de ter vencido Israel e a Hungria ter sido copiosamente pela República da Irlanda. Um destaque para as jovens portuguesas.

quinta-feira, setembro 22, 2011

Pedagogia

Uma outra notícia na imprensa de ontem mereceu-me destaque pela dimensão pedagógica e inteligente que revela. Refiro-me a uma pequena entrevista de Carvalho, antigo guarda-redes internacional do Sporting CP, ao jornal "O Jogo, sobre o momento de Rui Patrício.

Joaquim Carvalho, antigo guarda-redes do Sporting, defende que Domingos tem de manter a confiança em Rui Patrício, pois, para ele, não há qualquer crise exibicional do camisola 1: "Não há mau momento nenhum. São fases dos guarda-redes, eu também passei por isso. Pode ser responsabilidade a mais no momento do Sporting. Mas ele é o mesmo. Falo com ele e às vezes sente-se nervoso... Subiu degraus muito altos para a idade dele, o que é muito bom." Carvalho recorda que, com o Rio Ave, Patrício "foi mal batido no primeiro golo, mas depois salvou a equipa de empatar no final", para sentenciar em sua defesa: "Tem feito coisas maravilhosas! E não se pode esquecer que o Sporting ainda tem de ganhar coesão na defesa. Já o considero o melhor português. É acanhado, por isso vou falar com ele. Dar lugar a Marcelo? O público reage assim, mas o que pedem não se pode fazer. Tirar Rui Patrício pode dar cabo dele e não quer dizer que Marcelo resolva. Tem de se dar confiança a Rui Patrício, tal como fez Paulo Bento no passado. Ele está à altura."

Foto: Francisco Paraíso

É evidente que nestas coisas quem manda é o treinador e será sempre este  a ter a última, mais importante e legítima palavra, mas chamar a atenção para estas sabedoras e pedagógicas palavras também não prejudica ninguém. Parece-me aliás que é este também o pensamento lógico do seu treinador. O assunto Rui Patrício já ultrapassa o próprio Sporting dado que o jovem guarda-redes é o actual titular da baliza nacional. Um bom desempenho e referência no seu clube ajudá-lo-á a garantir e a manter um espaço importante na selecção nacional.

Históricos

Ao ler a imprensa de ontem fiquei com duas notícias na minha memória. Uma boa, outra má. Refiro-me em primeiro lugar ao facto do Boavista FC, que atravessa tantas dificuldades, ter conseguido no último momento inscrever os jogadores que lhe permitem iniciar a competição e poder respirar um pouco mais no tremendo e difícil caminho que tem atravessado. Saliência ainda para o facto de ter sido a acção de três referências do clube, Jaime Pacheco, Petit e Jorge Silva, que permitiu resolver as situações pendentes, particularmente no contacto com ex-jogadores com os quais o clube tinha dívidas. No futebol há muita gente solidária e séria. A notícia má refere-se a outro histórico, com uma dimensão um pouco menor, o Lusitano GC, de Évora que devido a dívidas acumuladas, se viu obrigado a prescindir do futebol sénior. O clube de Vital, José Pedro e tantos outros, outrora a maior referência alentejana do futebol, aumenta a sua crise e caminha para o abismo como tantos outros clubes ao sul do Tejo. Uma pena.

quarta-feira, setembro 21, 2011

Selecção e o Hino Nacional


O hino nacional de cada país é sempre sentido de uma forma especial por todos os atletas. Uns fecham os olhos, outros cantam unicamente para si, outros vibram para o exterior e para quem os vê, outros ainda mantêm-se calados vendo-se pelos seus olhos que interiorizam o sentimento do momento. No râguebi, pelos vistos, a exemplo do que os portugueses fizeram no mundial de França, os atletas vibram intensamente com os seus hinos nacionais. A foto ilustra os italianos antes do jogo com a Rússia, no mundial que se encontra a decorrer na Nova Zelândia.

Equipas "B", de novo


Um artigo interessante no jornal "O Jogo" de ontem, sobre um tema em discussão. Hoje vai havendo muita gente a questionar os investimentos que se fazem na formação sem que haja correspondência ao nível da saída de jogadores para as equipas profissionais. As equipas "B" são um caminho que pode ser uma solução, não o único, e como se prova pelo exemplo do Marítimo, tem dado resultado. No entanto existem também opiniões contrárias vindas de alguns sectores que afirmam ser um investimento caro sem grande retorno. Enquanto não se chega a uma conclusão e a um caminho que seja confortável para todos vão-se ouvindo e lendo opiniões com alguma base de sustentação como é o caso.

terça-feira, setembro 20, 2011

Campeonato de Promoção em progresso

No futebol feminino, aos poucos, lentamente, aqui e ali vão surgindo sinais do interesse das jovens em jogarem futebol. O Campeonato de Promoção teve ontem o seu sorteio com um número recorde de trinta equipas, com o aparecimento de clubes da região de Setúbal e Alentejo entre outros. Um mar imenso de progressão caso surjam mais medidas de apoio e suporte aos clubes.

Como registo saliente-se o nome das equipas.

Campeonato de Promoção
A competição arranca a 2 de Outubro de 2011, envolvendo trinta equipas, divididas por três séries.
Série A
1. Sandinenses
2. Freamunde
3. Incansáveis Atletismo
4. Ringe
5. Salgueiros 08
6. Régua
7. Terras Bouro
8. Cortegaça
9. Pico Regalados
10. Cête
Série B
1. Seia
2. Murtoense
3. Eirolense
4. Fundação Laura Santos
5. Cesarense
6. Rossas
7. Esperança
8. Ferreirense
9. Feirense
10. Pampilhosa
Série C
1. Paio Pires
2. 1º Dezembro*
3. FC Belenenses
4. Palmelense
5. Estoril-Praia
6. Bobadelense
7. Ouriense
8. Arsenal 72
9. Ponte Frielas
10. A-dos-Francos

Deco

Foto: Francisco Paraíso


Depois das palavras desnecessárias e incorrectas que se disseram esta passada semana sobre si aqui em Portugal, também no Brasil a sua vida desportiva não tem estado ao melhor nível, tendo Deco tomado a decisão de abdicar de salários enquanto estiver lesionado.

"Deco, médio luso-brasileiro do Fluminense, confirmou no Brasil que tomou a decisão de abdicar do salário até regressar à competição. O antigo internacional procura ultrapassar problemas físicos e ficou agastados com alguns comentários sobre a sua situação.
«No Brasil há a sensação de que quem trabalha é ladrão. Quis fazer isso porque, graças a Deus, tenho uma boa condição financeira, mas não acho que seja correcto. Nenhum jogador tem que fazer isso, porque não está a roubar ninguém. Quero jogar de forma tranquila, sem nenhum tipo de cobrança», explicou Deco.
Em declarações ao programa Esporte Interativo, o médio justificou a decisão. «Eu tenho um filho de onze anos. Tive uma carreira no futebol e meu filho lê na internet que o pai dele está a roubar o Fluminense. Podem até falar que o Deco não joga nada que vou respeitar a opinião, mas não sou ladrão. O problema é quando vão por outros caminho», rematou.
In: maisfutebol 

Uma atitude séria de uma pessoa que conheci bem e que deixou bastantes amigos em Portugal e na Selecção. Já agora, e porque é verdade, e não foi publicitado, nem pelo próprio, nem pela FPF, Deco, após o mundial, foi punido pela FPF, pelas suas declarações após um jogo. E sancionado da única forma possível de no momento isso acontecer, já que tinha anteriormente decidido  abandonar a Selecção Nacional, ou seja, monetariamente, através de um corte das verbas que tinha a receber pela sua participação. Mesmo assim, colocar no mesmo patamar um abandono não autorizado de um estágio da selecção nacional e palavras proferidas após um jogo é no mínimo caricato. Além de que Deco aceitava ser afastado da delegação se tivesse sido esse o entendimento dos responsáveis, directivos e técnicos, como foi aliás anunciado. Todos, dirigentes e técnicos acharam, no momento, que não era essa a melhor solução e nem se justificava tal medida. Já agora, e a talho de foice, diga-se que Scolari pediu imediatamente desculpa em conferência de imprensa no dia seguinte ao jogo onde aconteceu a tentativa de agressão a um jogador sérvio e foi multado pela FPF em trinta e sete mil euros, como também foi público. Tratamento especial para luso-brasileiros e brasileiros? Não me parece. Para que conste.

segunda-feira, setembro 19, 2011

Um caminhar Sereno


Foi descoberto num torneio de amadores Sub/20, organizado pela FPF, chamado Torneio Eusébio, que dá acesso à Taça da Regiões da UEFA. Depois disso, uma saída até Guimarães, FC Porto, e agora Colónia, onde já se encontravam Petit e o brasileiro Geromel. Chama-se Sereno e foi titular neste fim-de-semana no jogo fora com o Bayer Leverkusen, que ajudou a derrotar por 4/1. O Bayer ainda esta semana jogou com o Chelsea para a Champions e é actualmente uma equipa bastante forte da Bundesliga. Sereno, serenamente jogando, tem ajudado o seu clube a recuperar de um início fracalhote.

Espanha


Pode pensar-se por vezes que estamos ao mesmo nível dos nossos vizinhos espanhóis e no futebol pensa-se mesmo que por vezes somos superiores, um pouco por força da presença de muitos dos nossos compatriotas em bastantes equipas da sua liga. Nada mais errado. A Espanha é hoje em dia a maior potência desportiva do continente e está muitos patamares acima de qualquer outro país europeu. Acrescentando aos títulos europeus e mundiais de futebol a nível senior como a nível de escalões de formação como os "Sub/21", o basquetebol tornou-se ontem campeã europeu de basquetebol ao vencer a França na final, dando sequência também a outros títulos nessa modalidade. Vencer os maiores títulos nas duas maiores modalidades colectivas é de facto um feito único no desporto europeu e mundial. Isto sem falar no ténis, no golfe, no automobilismo e em outras modalidades onde são extremamente fortes. Podem estar mal economicamente mas no desporto estão no top.

domingo, setembro 18, 2011

Contágio positivo


Uma notícia interessante do "Sol" desta semana sobre a investida de empresas portuguesas num mercado tão importante como é a Colômbia. A Colômbia é um país em franco progresso, com dinheiro, organização e em crescimento acelerado. Vi e constatei no local nas duas vezes que lá me desloquei. E vi também a enorme abertura dos colombianos para com os portugueses, conforme o próprio embaixador português mo confirmou. Esta notícia comprova o que digo e pelos vistos a Selecção Nacional "Sub/20" deu uma ajudinha aos nossos empresários. Quem diria!

Começar bem


Foi o que aconteceu à Selecção Nacional Feminina no jogo com a Arménia, ontem em Yerevan. Vencer  fora e por 8/0, recorde de diferença golos, será um estímulo importante para o futuro próximo. Aos poucos a  selecção vai crescendo e com mais algumas medidas de suporte e organizativas pode-se pensar e sonhar que em breve, se pode pensar numa presença numa fase final. Quem luta pelo futebol feminino em Portugal merece que se atinja esse objectivo. Já as Sub/19 não entraram bem no Torneio de Apuramento que se disputa em Portugal, perdendo com a Rep. da Irlanda por 1/0. Continuar a lutar é o caminho. Ainda há hipóteses.

sábado, setembro 17, 2011

Palavras sérias

Cristiano Ronaldo acha que Portugal já merecia ter vencido «uma grande competição». Por outro lado, sente que a selecção nacional está «no bom caminho». As afirmações foram feitas em entrevista à TVI.
«Tenho a sensação de que Portugal está no bom caminho, não sentia isso há muito tempo. Senti novamente. A equipa é óptima, temos condições para triunfar. É preciso ter paciência, respeitar as outras equipas que também têm como objectivo ganhar. Portugal tem um historial, tem jogadores e treinadores, é amargo não ter vencido. Já merecia ganhar uma prova como o Euro e ainda não teve essa oportunidade. Mas estou confiante de que nos próximos tempos o futuro será muito bom».
In: mais futebol

Acho que percebo e entendo claramente esta entrevista. Trata-se de uma óbvia resposta a todos os grilos falantes, provocadores, mentirosos com todos os dentes que têm a sua brilhante dentição, que por aí andam a tentar incendiar um objectivo que é de quase todos os portugueses que gostam de futebol, estar no Euro 2012. Uma forma clara de dizer o que sente actualmente em contraste com o que sentiu não há muito tempo. Ele e todos nós.

Falar e jogar no feminino


Não é só dos grandes jogos, mediaticamente falando, que é feita a vida das selecções nacionais. Hoje com um pouco mais de destaque, talvez por obra e graça de muitos sites e blogs que se vão fazendo por aí, o futebol feminino vai evoluindo e sendo falado. Hoje é um dia importante para todos os que gostam e apreciam o futebol jogado no feminino. A Selecção "AA", em Yerevan, na Arménia, pelas 17.00 horas locais, jogará com a equipa local, o seu primeiro jogo de qualificação para o Euro 2013 e uma vitória abrirá portas para uma participação positiva e na senda do progresso que a equipa vem evidenciando. Por sua vez as "Sub/19", iniciam na Mealhada, pelas 18.00 horas, com a República da Irlanda, a sua participação no Torneio de Apuramento da UEFA, para o Europeu de 2012. Também aqui uma vitória terá um significado importante para o resto da prova.

sexta-feira, setembro 16, 2011

Falar por falar

João Catarré - Actor - In "Record"


Há momentos que mais vale estar calado do que dizer asneiras. "Como não se sabe o que aconteceu, pode ser um pau de dois bicos", disse Catarré. Não se sabe o que aconteceu? Aonde é que tem andado o Catarré? Falar por falar.

Uma palavra para o Futsal

Anteontem a Selecção Nacional de Futsal fez o seu último jogo  de preparação com a Rússia, em Oliveira de Azeméis. Dois excelentes jogos que serviram para o Seleccionador Nacional retirar as suas ilações quanto ao futuro próximo e às duas importantes competições que se avizinham. A Rússia é uma equipa extremamente forte sendo actualmente uma das quatro melhores equipas da Europa. O último jogo proporcionou  nos últimos instantes momentos de grande intensidade e de beleza quando Portugal recuperou até ao empate podendo até ter vencido. Foi bonito de ver aquela reacção depois de estar a perder por 3/0. Saliência para o facto de após a Espanha, Brasil e Rússia e antes da Itália, se ter optado por jogar contra os melhores de forma a haver uma melhor avaliação do potencial da equipa.

quinta-feira, setembro 15, 2011

Os europeus

Acompanhei a participação das nossas selecções nacionais de Basquetebol e de Voleibol, nos respectivos europeus, cuja presença em primeiro lugar se realça. No entanto, infelizmente, os resultados que os atletas, dirigentes e técnicos desejariam não foram alcançados, não se tendo conseguido nenhuma vitória em qualquer das modalidades. Sei por experiência própria e longa que estas participações ou são devidamente preparadas com muito tempo ou resultam nisto, ou seja, derrotas muito amargas. Vi o jogo Portugal/Rússia, em voleibol, e a diferença física é de facto enorme,e  apesar de tudo a selecção nacional deu bastante luta. Estou em crer que estas participações, seja em que modalidade for, devem merecer por parte das autoridades competentes um esforço e suporte financeiro para que as expectativas de todos não saiam frustadas. A preparação da maioria das grandes equipas não se fez concerteza com meia-dúzia de dias de estágio e o investimento comparado com o que fazemos em Portugal foi de certeza muito mais avultado. Milagres, pelo menos no desporto de alta competição, não existem.

Formadores

Dando uma vista geral pela comunicação social continuam a surgir notícias sobre o aparecimento, revelação, de jovens valores formados por clubes pequenos que continuam no seu papel de formadores sem que por vezes se lhes dê o devido destaque por essa missão quase anónima. Ainda ontem se falou do Varzim, acerca de Salvador Agra, hoje no Olhanense, de Pedro Mendes, de apenas 17 anos, no Vitória de Setúbal, de Babo, que aos 18 anos é titular do Freamunde, do Tourizense que formou Éder, Nivaldo e Rui Miguel, jovens que estão na equipa principal da Académica, e também de Roberto, da Naval, que apesar de ter passado pelo FC Porto, andou meio perdido pelo S. Pedro da Cova, Operário, Oliveira do Douro, Tirsense e agora começou a dar nas vistas na Figueira da Foz. Mais nomes haveria para citar pois quase todos os dias surgem aqui e ali notícias com jovens jogadores portugueses com valor e que são fruto de muito labor, carolice e dedicação dos responsáveis técnicos e directivos desses clubes, um pouco por todo o país. Um aspecto positivo do nosso futebol.

quarta-feira, setembro 14, 2011

Xavi e Casillas

Xavi falou sobre a conturbada relação entre os jogadores do Barcelona e do Real Madrid, apontando o exemplo dele próprio com o guarda-redes Iker Casillas.
«Os clássicos mudaram um pouco a nossa relação, mas a questão está resolvida. Falámos entre capitães e sentimos a necessidade de discutir esta situação para bem do futebol espanhol», começou por explicar Xavi, referindo de imediato:
«Jogamos juntos na selecção há 15 anos. Casillas e eu somos como um casal. Às vezes discutimos mas depois esquecemo-nos de tudo.»  

Por vezes surgem artigos sobre as relações dos grupos de trabalho no interior da selecção, particularmente sobre os jogadores. Normalmente falam do que não sabem e do que não conhecem. Este assunto da selecção espanhola acontece quase em todas as selecções, e também na portuguesa se pensou, nalguns períodos, que eventualmente poderia haver problemas deste tipo. Nada mais errado. Sempre que existia um clássico, digamos, mais animado, antes da concentração, todos pensavam que as relações no interior da selecção se iriam ressentir dalgumas picardias do dia anterior. E o que acontecia era exactamente o contrário, com enormes risadas e histórias que inundavam o estágio sobre os acontecimentos do dia anterior. Hoje, infelizmente, esses conversas praticamente não existem dado o número cada vez menor de jogadores portugueses que actuam na liga e são convocados. Esses tempos passaram, repito, infelizmente.

Ainda o jogador português

José Manuel Ribeiro, do jornal "O Jogo", publicou ontem um artigo com o título "A grande maldade", no qual aborda o assunto do jogador português. Em primeiro lugar refira-se que o segundo lugar no mundial da Colômbia Sub/20, abriu portas à discussão sobre o tema que até então se resumia praticamente a especialistas e conhecedores da realidade. Hoje, todos falam sobre o assunto sem na maioria dos casos saberem do que falam e por isso muita asneira se tem dito e escrito por pessoas que de repente se assumiram como grandes especialistas na matéria e que mais valiam estar caladas. Não é este o caso, pois o artigo encontra-se bem fundamentado  e apesar de não concordar com algumas das ideias nele expressas, avança com análises sustentadas e baseadas em determinados princípios, que nalguns casos, a meu ver, são discutíveis. É verdade que no essencial concordo, principalmente quando argumenta e bem, que a situação não é alarmante, mas também não é menos verdade que não aborda os interesses envolventes a muitas transferências que condicionam em muito a aposta no jogador que não faz movimentar meios e sobretudo porque  praticamente se limita à desmontagem de determinadas ideias e concepções sem perspectivar soluções. Por exemplo poderia perguntar qual a razão na continuada aposta na formação sem que produzam directamente resultados desse investimento. Ganhar campeonatos de juniores é o objectivo único de tão avultados investimentos? Para terminar, concorde-se ou não, é uma análise feita de uma forma séria, discutível como todas, mas que resulta num contributo positivo para a abordagem deste assunto.

terça-feira, setembro 13, 2011

O mundial de râguebi


Está já a decorrer o mundial de râguebi e esta imagem demonstra quanto uma equipa bem preparada pode permitir que um jogador possa quase chegar às nuvens. Trata-se de Richie Gray e da equipa da Escócia, não esquecendo que Gray não é nenhuma pena esvoaçante, tem 2,05 metros.


Revelações nacionais


Embora a época ainda esteja praticamente no seu início há já jogadores que se têm revelado e estado acima do que lhes tem sido habitual. É o caso de Helder Barbosa, jogador que tem uma história grande, preciosa, ao serviço das selecções nacionais, mas que nos últimos tempos se tem mostrado oscilante e um pouco ausente, mas mesmo assim com um total de 78 internacionalizações. Em 2007, quando se esperaria que fosse a nossa grande mais-valia para o Mundial Sub/20, no Canadá, lesionou-se gravemente, tendo ficado fora das competições durante bastante tempo. Foi uma grande esperança do nosso futebol jovem dado que não há muitos jogadores portugueses, que joguem pelo lado esquerdo e que possuam a qualidade que Helder possui. Depois de algumas campanhas hesitantes, parece que esta época, ao serviço do SC Braga, está a querer mostrar o quanto prometeu e chegar ao lugar onde se esperaria que estivesse. A qualidade, e a beleza, dos golos que tem marcado assim o indiciam.

segunda-feira, setembro 12, 2011

Futsal



Concentrou-se ontem em Oliveira de Azeméis, a Selecção Nacional de Futsal, com vista aos jogos com a Rússia, de preparação para a fase de qualificação do Mundial e para o Europeu de 2012. Dois confrontos importantes a terem lugar amanhã e no dia seguinte em Oliveira de Azeméis. A Selecção Nacional de Futsal tem nesta época a participação nesses dois importantes eventos pelo que se espera que estes jogos sirvam os objectivos a que o Seleccionador Nacional e a equipa se propõem atingir.

Sub/19

BENFICA SAD..................................André Gomes; Bernardo Lopes; Bruno Gaspar; BrunoVarela; Cafú; Daniel Martins; Ivan Cavaleiro

FC PORTO SAD...............................Alves; André Teixeira; Fábio Martins; Lupeta; Paulo Jorge; Tiago Ferreira; Tó-Zé
FULHAM FC.....................................Mesca
SPORTING SAD................................Betinho; Bruma; João Carlos; João Mário; Mateus Fonseca; Michael; Rafael Veloso; Ricardo Esgaio; Tiago Ilori
UD LEIRIA........................................Pedro Almeida
VITORIA SC......................................André Pereira

São estes os 26 jogadores que de hoje a quarta-feira, no Estádio Nacional, iniciam um estágio de preparação para os objectivos desta éoca neste escalão. A Selecção Nacional Sub/19, propõe-se alcançar a fase final do euro da categoria e nessa competição atingir a qualificação para o mundial sub/20 de 2013. Realce nesta equipa para a presença do jogador do FC Porto, Tiago Ferreira, que esteve recentemente no Mundial da Colômbia, onde Portugal alcançou o segundo lugar. Um elo de ligação importante para os mais jovens.

domingo, setembro 11, 2011

Semana no feminino

Ontem e hoje as selecções nacionais femininas entram em estágio. Ontem a Sub/19 e hoje a "AA". As Sub/19 concentram-se para se prepararem para o 1º torneio de apuramento da UEFA para esta categoria que decorrerá na região centro, com a participação de Portugal, Hungria, Israel e Rep. Irlanda. O torneio começará no dia 17, em Oliveira do Bairro e na Mealhada. Por sua vez a selecção "AA" terá o seu primeiro jogo de qualificação para o Euro 2013, com a Arménia, em Yerevan, no próximo dia 17. Uma vitória será importante para um começo que dê garantias de uma boa participação no europeu.

Outras ligas


A nossa liga será sempre aquela que nos desperta mais atenção, no entanto face à saída de uma boa parte de jogadores portugueses para os mais diversos países, começamos a procurar cada vez com maior frequência os resultados que vão acontecendo pelos diferentes campeonatos. Saber o que se passa com o Besiktas, o Cluj, o Zenit e o Lokomotiv de Moscovo, com o Real Madrid, Granada e Saragoça, com o Chelsea e o Manchester, clubes onde se encontram dezenas de portugueses, jogadores e teinadores, passa a ser um dos nossos focos de interesse. Mas se tivermos em atenção todos os que por aí andam na diáspora futebolística, temos que ser mais precisos e saber o que se passa por Inglaterra, Chipre, Roménia, Rússia, Turquia, Grécia, Espanha, França, Escócia, Bélgica, Alemanha, Itália, Croácia, China, Irão, Angola, Egipto, locais onde estão a maioria dos nossos compatriotas. Um olhar frequente pelo futebol  no mundo para saber o que vai acontecendo com os nossos, as suas vitórias, os seus sucessos, e as suas derrotas.

sábado, setembro 10, 2011

A luta continua...

Esta foi uma frase muito ouvida durante o PREC. A luta continua no entanto, neste momento, por outra ordem de razões, particularmente para as alterações que permitam ao jogador português ter oportunidades de acesso às equipas principais dos nossos clubes, evitando-se desse modo, desnecessariamente, o investimento em jogadores estrangeiros de segunda e terceira linha que infelizmente enchem os plantéis desses clubes. Uma oportunidade aos nossos jogadores é o que se pede, seja através das equipas "B", de uma competição específica para essas idades, de legislação que obrigue a inscrição de um determinado número de jogadores portugueses, da defesa do seu espaço sobretudo nas equipas da formação, na Liga Orangina e nas 2ª e 3ª divisões. O diagnóstico está feito, pelo que agora precisa-se  de regulação e decisão. O Presidente do Sindicato de Jogadores, em entrevista ao DN, foi claro: "Não me conformo que equipas portuguesas, dirigidas por por portuguesas, e orientadas por treinadores portugueses, sejam compostas maioritariamente por jogadores estrangeiros".

Euro de Futsal


De 31 de Janeiro a 11 de Fevereiro, em Zagreb e Split, na Croácia, terá lugar o Euro 2012 de Futsal. O so sorteio não tornou as coisas fáceis à equipa nacional dado que ficaram no nosso grupo a Sérvia e o Azerbaijão. Este país, bastante forte, pela quantidade de brasileiros nauralizados, será um adversário de respeito, pelo que se quisermos repetir o feito de 2010, teremos de estar ao nosso melhor nível. O nosso grupo ficará sediado na capital, Zagreb. Antes ainda, em Dezembro, teremos a primeira fase de qualificação para o Mundial, também de 2012, que se disputará na Tailândia.

sexta-feira, setembro 09, 2011

Campeonato Nacional de Juniores

Realizou-se ontem a 6ª jornada do Campeonato Nacional de Juniores, competição que nesta fase se encontra a ser disputada em duas zonas, com doze equipas cada uma. Como referências fundamentais, até ao momento, o ressurgimento do Boavista, um dos clubes portugueses com melhor registo na formação nos últimos vinte anos, que se encontra na primeira posição da zona norte em parceria com o FC Porto. Como sinal menos positivo, e até inesperado, encontram-se o Benfica, no oitavo lugar da zona sul, com uma só vitória, e o Sporting, com melhor registo mas mesmo assim o quarto, também da zona sul. Saliência ainda para o facto de clubes como a Oliveirense, Sanjoanense e Naval, se encontrarem a disputar a zona sul. Como nota final refira-se que a Selecção Sub/19, através do respectivo europeu, terá este ano a oportunidade de concretizar nova presença no mundial sub/20, em 2013, pelo que este campeonato nacional será um factor importante para que os nossos jovens consigam níveis de jogo com bastante intensidade de forma a vencerem as diversas fases do europeu.

Sorteio do Euro 2012 Futsal


Sorteio para a Fase Final do Euro 2012 de Futsal

Pot 1 - Espanha, Portugal, Itália, Croácia
Pot 2 - Rússia,República Checa, Ucrânia, Sérvia
Pot 3 - Azerbaijão, Roménia, Eslovénia, Turquia

Group A - Croácia, Pot2, Pot3
Group B  - Pot1, Pot2, Pot3
Group C  - Pot1, Pot2, Pot3
Group D  - Pot1, Pot2, Pot3

Terá lugar hoje o sorteio  para o Euro 2012, que se realizará na Croácia. Portugal, mais uma vez, entrará como cabeça de série pelo que se evita para já as equipas mais fortes.

quinta-feira, setembro 08, 2011

Tevez e a selecção da Argentina

Carlos Tevez desabafou em entrevista à televisão Fox Sports. E fê-lo sem papas na língua. O avançado garantiu mesmo que a selecção argentina torna os jogadores piores. «Não sou a m... que dizem que sou», garantiu. «Todos queremos ganhar coisas com a selecção, mas não conseguimos se somos criticados.»

O jogador do Manchester City, confirmou aliás ter ganho seis quilos e ter entrado em depressão após a Copa América. «Jogar na selecção tira-te prestígio. Se não ganhas, matam-te. Não se pode chegar a esse nível de mau trato. Não ligo ao que dizem, mas tenho família, que ouve dizer que sou uma m...».

Para justificar tudo isto, Tevez dá o exemplo de Messi. «Ele é o melhor do mundo, levanta-se da cama e ganha campeonatos. Mas aqui, se a selecção joga mal, a culpa é do Messi. Se continua a jogar mal, é culpa dos que estão à volta Messi. Ou seja, é tudo culpa dele. Ele é o melhor do mundo.», lembrou.

Um desabafo que vale o que vale mas que começa a ter reflexos em alguns jogadores. O que se estranha é que estas questões só acontecem com alguns, felizmente poucos, jogadores em final de carreira e que começam a  sentir as selecções como um fardo e não como um meio promocional das suas vidas desportivas. Eu vi Messi em Fevereiro, no jogo contra Portugal, de uma forma completamente contrária ao que diz Tevez. Tudo passava por ele, ele foi o foco, dentro e fora de campo, e a sua alegria e vontade de jogar, como Ronaldo por Portugal, tornaram aquela hora e meia num momento de prazer para quem gosta de futebol.




A conjuntura, a coragem ou a falta dela

«Quando falei em geração coragem foi porque sabia que 99 por cento dos portugueses não confiavam nesta seleção, neste grupo de jogadores. Portanto, acho que foi necessária coragem para invertermos a opinião que os portugueses tinham, tanto os adeptos, como os especialistas em análise desportiva», afirmou Ilídio Vale, técnico vice-campeão mundial de sub-20, em entrevista à agência Lusa nesta quarta-feira.
«Quando precisámos da ajuda dos portugueses, eles não nos deram, porque estavam distraídos daquele que foi o trajecto desta seleção. É uma mágoa com que ficámos. Não me parece justa a desconfiança que, em especial os órgãos especializados, tiveram em relação a esta selecção», lamentou, ainda, Ilídio Vale, que distinguiu o colectivo português como «a grande estrela do Mundial».
In: maisfutebol

Completamente de acordo com estas palavras. Aliás notei esse completo desinteresse logo durante o sorteio em Cartagena, onde provavelmente teremos sido um dos poucos paises sem representantes da comunicação social no evento. Talvez porque muita gente estivesse convencida que a probabilidade de êxito seria remota. Aliás, a onda de artigos de alguns poucos comentadores que consideram ter sido esta campanha um sucesso mas conjuntural, refecte muito esse alheamento. Para esses que assim pensam, e mal, em 1989, 1991  e 1995, os sucessos aconteceram fruto de mudanças estruturais, mas na realidade se há alguém que saiba e conheça com exactidão o que se passou nesses anos, sou eu próprio, num total de quatro pessoas, Carlos Queiroz, Nelo Vingada e Rui Caçador. Comparar as condições estruturais de hoje e desses anos é autêntica brincadeira, quer seja na FPF, nos clubes ou até nas associações. É preciso ser bastante ignorante ou desconhecedor da matéria para emitir tais opiniões. Ou será que esta onda de comentários de pessoas a colocarem-se em bicos de pés é só consequência das futuras eleições e da consequente necessidade de se mostrarem aos futuros dirigentes, sejam eles quem forem? Quem sabe! Alguns deles, já fizeram a mesma ridícula encenação quando houve mudanças em alguns clubes.

quarta-feira, setembro 07, 2011

Os Sub/20


O Presidente da República, Cavaco Silva, agraciou ontem a Selecção Nacional Sub/20, pela participação no Mundial da Colômbia, onde alcançou o segundo lugar da competição. Foi uma cerimónia muito formal, num protocolo bem executado e onde o Presidente fez um discurso bem sucedido de elogio aos jogadores, aos técnicos e aos dirigentes da FPF. Referência importante no seu discurso foi o facto de ter usado a seguinte expressão: "Algo vai mal no futebol português quando estes jovens não conseguem jogar na nossa principal competição".  A defesa do jogador português ganhou um novo aliado, e desta vez de peso, ao mais alto nível do país. 

Euro 2012


O jogo Dinamarca/Noruega foi aquilo que desejávamos e prevíamos, ou seja, a vitória da Dinamarca, sobretudo por duas ordens de razões. Em primeiro lugar porque se Portugal vencer a Islândia, como se pretende, e também a Dinamarca em Chipre, a luta ficará a dois e a Noruega estará obviamente de fora. Em segundo lugar porque a Dinamarca é melhor equipa e seria injusto que os noruegueses, com este futebol directo e físico, conseguissem o apuramento. Só por um conjunto anormal de factos a Noruega chegou até este momento com hipóteses de qualificação o maior de todos a vitória contra Portugal em Setembro de 2010. Agora, para se classificar, necessita da ajuda de terceiros. Portanto na jornada dupla de Outubro teremos nas nossas mãos a qualificação directa para o Euro 2012. Não dependemos de ninguém, mas unicamente, e só, da nossa vontade, determinação, organização e competência. Mesmo com as aves agoirentas que por aí pululam que por vezes dão ideia de pretenderem um insucesso, por muito que pretendam demonstrar o contrário, estamos com todas as condições para atingirmos o nosso quinto europeu consecutivo.

terça-feira, setembro 06, 2011

Os Sub/21


Mais um jogo, perante a poderosa França, e uma vitória difícil mas justa. Os franceses não se pode dizer que tenham tido uma única oportunidade de golo ao contrário da Selecção Nacional que desperdiçou inúmeras ocasiões. Este jogo, na sequência do da Moldávia, permitiu o encontro, pela primeira vez, das duas gerações - sub/20 e sub/21 - vendo-se claramente que está a formar-se uma equipa com bastante qualidade e com muitas opções para o futuro, fruto não só da qualidade da sua jovem equipa técnica, liderada por Rui Jorge, mas, mais uma vez, também de um avultado investimento da FPF durante a época passada que permitiu a realização de um grande número de jogos e estágios de forma a que a equipa técnica tivesse condições para formar uma nova equipa. Quanto ao Euro 2013, foi muito importante a vitória na Moldávia, e hoje mesmo realizar-se-à o Polónia/Rússia que permitirá ficar-se com uma ideia clara do valor de ambas as equipas. Romeu, técnico adjunto, assegurará no local a observação desse jogo.


Líbia


Causou grande impacto internacional o facto da Líbia, apesar dos tremendos tumultos internos, ter conseguido meios para jogar no Cairo, o jogo de apuramento para o CAN, contra Moçambique, e sobretudo ter vencido. Os jogadores e toda a estrutura conseguiram vencer todas as dificuldades que de certeza lhes surgiram pela frente e honraram o seu país. Um exemplo que deveria ser registado por tantos que falam das selecções nacionais como se fossem um peso nas suas vidas. A vitória, pelo que se viu nas imagens das televisões internacionais, foi um enorme conforto para aquele povo que se encontra numa situação de guerra extremamente difícil e procura caminhos mais razoáveis de vida do que aquelas que tinham anteriormente.


segunda-feira, setembro 05, 2011

Um bom soldado, uma má atitude

Estava a ver um filme ontem numa televisão quando um dos intérpretes usou esta expressão. Nada mais adequado ao assunto "Ricardo Carvalho". Perante a lamentável sucessão de acontecimentos iniciados com a saída inexplicável do atleta do estágio, seguida de um comunicado e de uma entrevista sem nexo, tudo se resume a esta pequena frase: "Um bom soldado, uma má atitude", que infelizmente, porventura por mau aconselhamento, se vai expandindo de uma forma desenfreada e cada vez mais sem controlo. Um passado sem mácula manchado por um acto inesperado, irreflectido e bastante reprovável. Digam o que disserem. Nada mais.

Capitão

Tema incontornável foi o "caso Ricardo Carvalho", que Cristiano Ronaldo preferiu chutar para canto e sublinhar que as conclusõs tiradas pelos jogadores da Seleção não são para serem partilhadas.
"Tudo o que se passou está ultrapassado, o míster Paulo Bento já falou e o que pensamos fica dentro do grupo", explicou, negando que o aviso de Paulo Bento acerca da inexistência de lugares cativos fosse dirigida somente a Carvalho: "Aquilo que o míster disse podia ser para mim ou para o Pepe. Não foi uma mensagem só para o Ricardo, mas para todos."
In: "Record"

A atitude de um capitão mede-se por palavras como estas. Seria fácil para Ronaldo falar sobre o assunto do qual tudo sabe, não especulando, mas acabando por dar possibilidades a especulações. Hoje todas as palavras que são ditas publicamente devem ser medidas com todo o cuidado. Mais vale por vezes calarmo-nos, ouvirmos toda a espécie de tonterias de pessoas que nada sabem, engolirmos sapos de todo o tamanho, do que continuar a dar oportunidades para que alguns tentem brilhar no reino das palavras e dos cadeirões das televisões.

domingo, setembro 04, 2011

Futsal

Assisti ao jogo da Supertaça de Futsal disputado em Portimão, entre o Benfica e o Sporting, os eternos rivais lisboetas. Foi um excelente jogo, com espectáculo, emoção, qualidade que acabou por dar a vitória aos encarnados, que neste caso é o que menos importa. Se todos os jogos de futsal tivessem a dimensão e o enquadramento deste, com muito público, excelente pavilhão, e entrega e emoção até ao fim, o futsal daria um grande salto qualitativo. Finalmente uma palavra de destaque para todos os intervenientes que tiveram palavras recíprocas de elogio dos seus adversários em gestos de fair-play que merecem ser referidos. Parabéns aos jogadores, técnicos e dirigentes e ainda à FPF pela forma como o jogo foi organizado. Sem mácula.

Raúl Meireles

Se houve facto que me mereceu o maior destaque neste último jogo com o Chipre foi a prestação de Raúl Meireles. Condicionado por motivos físicos, como era do conhecimento de todos, por força de uma lesão contraída ao serviço do seu clube de então, foi submetido ainda às questões complexas da mudança para o Chelsea, tendo por isso vivido nestes dias num verdadeiro turbilhão. Raúl foi submetido a trabalhos específicos, protegido, mas sem olhar nunca a reservas ou em ponderar sequer não jogar. E fê-lo sem olhar ao sofrimento que porventura lhe viesse a surgir. Por isso, e lembrando-me das suas palavras no início do estãgio: "Pela Selecção Nacional faço tudo", torno-o no grande destaque deste jogo com Chipre. É de gente com esta raça e têmpera que a história da selecção se tem feito ao longo destes noventa anos.

sábado, setembro 03, 2011

Tecnologias

Sou do tempo em que ouvir os relatos de futebol e de hóquei em patins era uma das actividades mais interessantes para se saber o que havia em directo no desporto. Mais tarde chegou o reino da televisão e é do mundial de 1966 que tenho as primeiras, e grandes recordações. De progresso em progresso tudo foi evoluindo muito rapidamente mantendo-se no meio também o período do transistor, ainda muito em voga em algumas regiões do mundo e até do país. De qualquer a forma a televisão foi secando tudo à sua volta e hoje é possível ver futebol de manhã à noite. Sempre que vinhamos para o estrangeiro tratávamos de conseguir a sintonização da RTPinternacional no sentido se verem especialmente os jogos dos Sub/21, que se realizam quase sempre na véspera dos "AA". Anteontem porém aconteceu algo de novo e enquanto decorria o treino oficial da equipa em Chipre, foi possível assistirmos ao jogo dos Sub/21, na Moldávia, mas no estádio com um Ipad, passe a publicidade, através da aplicação da RTP e utilizando o wireless. Não há limites para os avanços tecnológicos, mas este mundo, por força deles, está cada vez mais pequeno. O que é pena é que as máquinas levam-nos para situações inimagináveis, mas os homens parecem cada vez mais longe uns dos outros.

Chipre/Portugal

Foto: Francisco Paraíso

Como se previa não foi um jogo fácil apesar da tranquilidade que o primeiro golo e a expulsão do jogador cipriota Dobrasinovic proporcionou. Mesmo marcado pelo lamentável e despropositado assunto "Ricardo Carvalho", este estágio correu quase na perfeição no que respeita à unidade e coesão do grupo. Muitas vezes, ventos de frente, permitem uma rota sem grandes oscilações e foi isso que aconteceu com o jogo. Impunha-se uma vitória e ela aí está, consolidando-se a posição no grupo. Apesar de aqui e ali surgirem vozes sem qualquer crédito com cunho de conhecedoras de uma realidade que nem em sonhos algum dia atingirão, esquecendo, ou pretendendo apagar deliberadamente, situações do passado em que os mais elementares valores éticos e de princípios foram internamente postos em causa, as selecções nacionais lá vão prosseguindo a sua caminhada de prestígio do país e do futebol português. Há dias na Colômbia, anteontem na Moldávia, ontem em Chipre. Custa muito a alguns com ligações a estratégias que no recente passado  definhador defenderam com unhas, dentes e com tudo  o que conseguiram arregimentar, que sem alaridos, sem propagandas principescamente pagas de centrais de comunicação,  se consiga manter um rumo e um caminho de grande prestígio internacional. Primeiro com Scolari e agora com Paulo Bento, estes mesmos arautos da pseudo-intelectualidade no futebol, sem qualquer registo válido nas suas vidas que não seja falar fácil, tornaram-se adversários de princípios baseados na honestidade e na frontalidade, preferindo as situações dúbias, vindas de pessoas com palavras bonitas cheias de nada. É este o país e as pessoas que temos. Em Outubro teremos as outras duas finais e depois se verá o que vai acontecer.


sexta-feira, setembro 02, 2011

2001

Foi neste ano que jogámos pela última vez aqui em Chipre. O jogo realizou-se em Larnaca, num estádio sem o mínimo de condições, num ambiente deplorável, com uma temperatura e humidade muito altas. Não foi fácil ganhar, e sofremos a bem sofrer. O resultado final, 3-1, não espelhou as dificuldades que sentimos para levar de vencida uma equipa aguerrida. Esse resultado praticamente deu-nos a qualificação para o Mundial de 2002 de má memória, faltando-nos  a seguir vencer a Estónia em casa o que viria naturalmente a acontecer. Daqui a pouco uma vitória poderá embalar-nos para o Euro 2012 e é só nesse resultado que pensamos. Todo o grupo, técnicos, jogadores, dirigentes e restante staff aguarda o momento com ansiedade, sabendo que o país do futebol tem confiança nos seus representantes.

Chipre

Chipre é actualmente o único país do mundo dividido por um muro, excepção à situação não similar de Israel e Palestina,  que ficam aqui bem perto. Desde 1974 que o mesmo povo se encontra separado por obra e graça de políticos, religiosos e sobretudo teimosia dos homens. Visitei a ilha pela primeira vez em 2001 e nota-se, desde então, uma acentuada evolução derivada da adesão à União Europeia. Não se percebem os motivos desta continuada separação já que os tempos actuais são bem diferentes de 1974 e de facto ninguém ganha com a situação. Os locais com quem falei têm esperança que um dia se resolva. Um dia que parece vir ainda um pouco longe. Em comum, existe o calor, que torna este local num sítio abrasador durante o dia. A lembrar o interior do Alentejo nos seus piores dias de canícula, mas por aqui os dias têm meses, e nesta zona de Nicósia não existe qualquer brisa fresca ao contrário de Larnaca e Limassol, que se situam junto ao Mediterrâneo. Os cipriotas sabem que este factor pode jogar a seu favor provocando um grande desgaste nos adversários, embora Portugal não seja propriamente um país nórdico. Mas que aquece, aquece...

quinta-feira, setembro 01, 2011

Invasão

Causou grande estranheza e impacto a invasão pelos seus próprios adeptos do treino do Vitória SC. É difícil evitar situações deste tipo quando se leva o clubismo a limites extremos. Quando os resultados são positivos os punidos são os adversários, quando não se ganha volta-se a ira para o interior e aí quem paga é normalmente o treinador. Faltando o treinador, como foi o caso, volta-se contra os jogadores. Rui Vitória, o novo treinador teve uma dupla estreia, como técnico do clube e assistindo a uma cena lamentável. Cena para polícia que os juízes rapidamente concerteza absolverão.

Ricardo Carvalho

Não poderia deixar de me referir a este assunto a partir do momento em que se tornou público. Tinha e tenho por este atleta reconhecida e sentida amizade cimentada por largos anos de contactos, estágios, jogos e tudo o que envolve a Selecção Nacional. Por aqui esteve durante 75 jogos na equipa principal e mais trinta noutras selecções. Um dia, num treino nas Antas, Pinto da Costa, durante um treino da selecção com o FC Porto, disse que aquele jovem júnior que estava a central seria o sucessor natural de Fernando Couto. E assim veio a acontecer. Fez uma carreira notável durante todos estes anos e Portugal deve estar-lhe agradecido pela sua entrega e enorme capacidade. Ontem porém, quando nada o fazia prever, tomou uma atitude que nunca deveria ter acontecido. Mas aconteceu e infelizmente o filme das nossas vidas e dos nossos actos, não pode ser rebobinado. Ricardo Carvalho destruiu em minutos o que havia amealhado de simpatia durante todos estes anos. A opinião pública e os adeptos julgarão o seu acto insensato e perturbador. Até a forma simples como o consumou demonstra que não houve a mínima reflexão, tornando-se refém de um sentimento e de uma decisão que concerteza já o devia rondar. Procedeu mal, muito mal, mas nada há já para fazer neste domínio. Chipre está aí e a vida continua, agora é preciso ganhar. Todos nós passamos mas a Selecção Nacional perdurará, por muito mal que de vez em quando um ou outro lhe faça.